Vacinas

Triplice Viral - SCR - Sarampo, Caxumba, Rubéola

A tríplice viral confere proteção contra 3 componentes: vírus do sarampo, da caxumba e da rubéola. Esta vacina é muito importante e está indicada para TODAS as crianças a partir de 1 ano de idade. Sua aplicação é subcutânea, e deve ser aplicada no mesmo dia que a vacina contra a catapora (ou varicela), ou se não for possível, deverá ser respeitado um intervalo mínimo de 28 dias entre elas. 

SARAMPO

O que é:

Doença viral altamente contagiosa, caracterizada pelo aparecimento de manchas vermelhas na pele. Os sintomas são: febre, tosse, corrimento no nariz, conjuntivite, sensação de sensibilidade ou aversão a qualquer tipo de luz e prostração. O sarampo pode apresentar complicações como: infecções respiratórias, pneumonia, encefalite, otite média, laringite e diarreia.

Meios de transmissão:

É transmitido diretamente de pessoa a pessoa, através das secreções expedidas ao tossir, espirrar, falar ou respirar.

Como prevenir:

O isolamento domiciliar ou hospitalar dos pacientes pode diminuir o risco de transmissão. Deve-se evitar, principalmente, a freqüência a escolas ou creches, suscetíveis. A vacinação também é uma forma de prevenção da doença.

CAXUMBA

O que é:

Infecção aguda causada por um vírus, podendo levar ao aumento das glândulas do pescoço e febre.

Meios de transmissão:

A transmissão se dá através do ar, pela saliva ou urina de pessoas infectadas.

Como prevenir:

Evitar contato dos suscetíveis com doentes e a vacinação também é uma medida de prevenção.

RUBÉOLA

O que é:

 

Doença aguda causada por vírus, que se manifesta com manchas avermelhadas na face, couro cabeludo e pescoço, espalhando-se para o tronco e membros.
Além do exantema, a rubéola também pode causar febre baixa e aumento dos gânglios no pescoço.

Meios de transmissão:

Por contato com as secreções das pessoas infectadas. A transmissão  por objetos contaminados é pouco frequente. A mulher grávida contaminada por rubéola pode passar a doença para o bebê através da placenta. essas crianças, que adquirem a chamada rubéola congênita, eliminam o vírus pela urina e por secreções nasofaríngeas, por um período de mais de um ano, sendo esta eliminação maior nos primeiros meses de vida.

Como prevenir:

O isolamento de paciente infectados pode diminuir o contágio. deve-se, principalmente, a frequência a escolas ou creches.
A vacinação também é uma medida de prevenção.

WhatsApp