Vacinas

DTPA - Triplice Bacteriana (Difteria/Tétano/Coqueluxe)

DIFTERIA:

O que é:

Doença transmissível aguda, causada por uma bactéria produtora de toxina que frequentemente se aloja nas amígdalas, faringe, laringe, nariz e,ocasionalmente, em outras mucosas e na pele. 
Os sintomas mais comuns são placas bronco acinzentadas nas amígdalas, podendo invadir também a faringe, laringe e fossas nasais, prostração, palidez, dor de garganta discreta e febre normalmente não muito elevada. Nos casos mais graves há intenso inchaço do pescoço, podendo ocorrer asfixia.

Meios de transmissão:

Contato direto da pessoa doente ou do portador da doença com pessoa suscetível (gotículas de secreção eliminadas por tosse, espirro ou ao falar). A transmissão por objetos recém-contaminados com secreções do doente ou de lesões em outras localizações é pouco frequente.
O paciente crônico, quando não tratado, pode transmitir a infecção por seis meses ou mais.

Como prevenir:

Deve ser realizado o isolamento do paciente infectado e recomenda-se a lavagem de mãos. A vacinação pode ser adotada como medida de prevenção.

TÉTANO:

O que é:

Doença infecciosa, não contagiosa, causada por uma bactéria encontrada na natureza, que produz uma toxina que causa diversos sintomas neuromusculares, como: dificuldade de deglutição, rigidez da nuca e rigidez muscular.
O tétano pode acontecer em recém-nascidos (tétano neonatal), que vão apresentar inicialmente dificuldades para mamar e choro excessivo, podendo evoluir para os sintomas citados acima.

Meios de transmissão:

Existem duas maneiras de contágio: o tétano acidental e o neonatal.
No tétano acidental a pessoa se infecta com a bactéria através de um ferimento. No tétano neonatal a contaminação se dá por falta de cuidado e higiene com o cordão umbilical do recém-nascido.

Como prevenir:

Deve-se ter cuidado adequado com ferimentos comuns, como lavá-los com água e sabão. A vacinação também é uma medida de prevenção contra o tétano.

COQUELUCHE:

O que é:

A coqueluche é uma doença infecciosa aguda que compromete especificamente o aparelho respiratório (traqueia e brônquios) e se caracteriza por tosse seca. A doença evolui em três fases sucessivas:

Fase catarral: tem duração de uma a duas semanas. Os paciente apresentam sintomas de infecções respiratórias leves, febre pouco intensa, mal-estar geral, coriza e tosse seca, progredindo para acessos intensos de tosse.
Fase paroxística: observa-se aumento da intensidade e da gravidade da tosse, acompanhada, algumas vezes, por vômito. A febre é ausente ou mínima.
Fase de Convalescença: os sintomas diminuem gradualmente.

Meios de transmissão:

Ocorre de pessoa para pessoa através do contato direto com secreções eliminadas na tosse, espirro ou ao falar com indivíduo contaminado. A transmissão por objetos recém-contaminados com secreções do doente é rara.

Como prevenir:

Recomenda-se a lavagem das mãos, uso de óculos e luvas, quando em contato com o paciente infectado. Outa forma de prevenção contra a coqueluche é a vacinação.

WhatsApp